Especial “Paixão e Fé” reúne show, poesia e questionamentos sobre mineração

“Paixão e Fé” propõe um diálogo com a cultura popular e questiona de forma sensível o período de contradições vivido no país.

Uma resposta poética à tragédia de Mariana. Um espetáculo produzido pela Rede Minas que une música e reflexões sobre a atividade mineradora. As gravações foram realizadas na cidade de Congonhas, tendo como cenário de fundo o patrimônio cultural, material e imaterial, mas também as maiores mineradoras no Brasil em seu entorno. Paixão e Fé, o especial que a Rede Minas produziu e exibe domingo, 05 de novembro, data que marca dois anos da tragédia de Mariana, às 10h, com reapresentação às 19h. O especial será exibido também na quinta-feira, 09, às 22h.

O músico e compositor Tulio Mourão e a cantora Titane apresentam um repertório que retrata a violência da ação das grandes instituições em contraponto com a fragilidade e vulnerabilidade das regiões e minorias exploradas. O especial conta com depoimentos da poeta Adélia Prado, do jornalista João Paulo Cunha, da militante Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM)  Raiara Pires, do diretor de meio ambiente e saúde da União das Associações Comunitárias de Congonhas (Unaccon)  Sandoval de Souza, e do diretor do Museu de Congonhas Sérgio Rodrigo Reis. A direção do especial Paixão e Fé foi feita por Papoula Bicalho, diretora de teatro e do programa Ribalta.

A Rede Minas promoveu a parceria entre os artistas, o Museu de Congonhas e a Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo (Fumcult). O projeto também contou com a colaboração fundamental da população da cidade mineira, tanto nas gravações das músicas como na produção do tapete de serragem, feito por artistas locais, e que retrata sua vegetação e fauna ameaçadas pela atividade das mineradoras.

Confira imagens dos bastidores das gravações em Congonhas, divulgadas pela cantora Titane.

 

       

Deixe um comentário