Maternidade, gênero, racismo e lutas das mulheres em destaque na Mostra de Cinema Feminista, na Faixa de Cinema

Crédito: Jorge Bernardo

Filmes exibidos na 6ª Mostra de Cinema Feminista chegam à tela da Rede Minas. Nas sextas-feiras, entre os dias 10 de setembro e 1º de outubro, a Faixa de Cinema apresenta produções selecionadas no evento, que teve início no último mês. Organizado pela Coletiva Malva, com produção e coordenação de Daniela Pimentel e Rita Boechat, o festival traz obras que tratam de temas que circundam o universo feminista, com abordagens que passam por questões como maternidade, gênero, racismo e lutas.

Para abrir a sessão nesta sexta (10), às 23h, a Faixa de Cinema exibe “Meu corpo é mais”, da premiada diretora Susanna Lira. A gordofobia é exposta no documentário, que mostra a relação dos corpos e os impactos provocados pela ditadura da beleza. No documentário, as mulheres se despem através de depoimentos para falar sobre o preconceito e a aceitação. A obra ainda traz intervenções, performances e relatos que procuram entender as causas e os efeitos desse problema no mundo contemporâneo.

“Meu corpo é mais” já foi exibido na TV por assinatura, ganhou repercussão na mídia por chamar a atenção para a gordofobia e foi vencedor de melhor filme no Festival Fica.Vc, por júri popular e pela Academia Internacional de Cinema. A cineasta Susanna Lira já trabalhou para a TV Globo, HBO, BBC, GNT, Al Jazeera, Universal Channel, entre outras. Há mais de dez anos atua como diretora de programas de televisão, documentários, séries, filmes, além de assumir a curadoria de mostras cinematográficas. Seu trabalho é marcado pelos direitos humanos. Entre as obras, “Mussum, um filme do cacildis”, “Torres das donzelas” e a série “Rotas do ódio”.

A Mostra de Cinema Feminista acontece desde 2015 com a proposta de fomentar as obras audiovisuais realizadas por mulheres cis e trans, pessoas não binárias e homens trans que culminam, também, em um espaço de debate e construção de pautas feministas apontadas nos filmes. Este ano, o festival reuniu 126 obras nacionais e internacionais no evento online.

Deixe um comentário