Faixa de Cinema apresenta rotinas singulares em documentários

Fotos: Gabriel Xavier e Louise Ralola / Lucas Barbi

Cotidianos peculiares são exibidos em duas obras na Faixa de Cinema desta sexta-feira (19), às 23h. “Minas Hotel“, de Marília Xavier de Lima, e “Kappa Crucis“, de João Cézar Borges.

O documentário “Minas Hotel”, de Marília Xavier de Lima, acompanha o dia-a-dia da hospedagem, fechada pela vigilância sanitária em 2010. Nela, vivem sozinhos Dona Lota, Carlinhos e Dita, na pequena cidade de Borda da Mata.

A diretora e roteirista Marília Xavier de Lima faz parte do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais. A entidade cultural sem fins lucrativos é responsável por organizar o Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades desde 2002.

Completando a programação, o filme “Kappa Crucis” mostra a rotina e a imensidão do universo do professor Bernardo Riedel. Sob a direção de João Cézar Borges, o documentário entra na órbita da lenda viva da astronomia brasileira. Riedel, professor aposentado da UFMG, foi responsável por construir mais de 2,5 mil telescópios e montou mais de 15 observatórios no Brasil.

O belo-horizontino João Borges realizou os filmes “Cajaíba” (2011), “Tigre” (2013), “Moto-perpétuo” (2015), “Kappa Crucis” (2016), “Rua Guaicurus” (2019) e “Antes que o Tempo Defina o que Sou” (2020). Seus filmes foram exibidos em importantes festivais, como Visions du Réel, DOK Leipzig, Mostra de Tiradentes, FórumDoc, Festival Internacional de Curtas de São Paulo, dentre outros.

Deixe um comentário