Estações retoma os trilhos de Minas em nova temporada

Terça-feira, 7 de dezembro, às 20h, é o horário de partida da nova temporada do Estações. A equipe da Rede Minas percorreu 20 municípios para mostrar a história por trás dos trilhos que passam por locais onde o transporte ferroviário ajudou a construir a identidade de um povo.

Seguindo o apito do trem, a jornalista Aline Frazão e o repórter cinematográfico Rivadávia Alves passaram por dezenas de estações nas regiões sul, centro, Vale do Rio Doce e norte de Minas Gerais, percorrendo três importantes ramais: o Ramal de Sapucaí, no sul do Estado; o Ramal do Sertão, que ficou conhecido como “Trem do Sertão” ou “Trem Baiano”, pois cortava as regiões Nordeste e Sudeste do Brasil; e o Ramal Vitória – Minas, único de transporte de passageiros em operação no Brasil.

Jacutinga, no sul de Minas, é a primeira parada do Estações. Embora pequena, com cerca de 23 mil habitantes, o município é conhecido como capital nacional das malhas. Entretanto, o local tem, como atrativos, outros fios-condutores que avançam os tecidos. Cercada por belas montanhas da Serra da Mantiqueira, a cidade oferece rotas turísticas que atraem amantes de caminhadas, ciclistas, devotos e aqueles apaixonados pela história. O lugar ainda abriga a Estação Jacutinga (1897), onde hoje funciona a Secretaria de Governo, e a antiga Sapucaí (1898) que, em estado de abandono, vive na memória da população.

Jacutinga, a cidade da ave
O nome “Jacutinga” vem do tupi “yacú-tinga”, em referência a ave que povoava a região. A modernização do lugarejo não chegou pelas asas, mas sim pelos trilhos do trem. O café mineiro caiu cedo no gosto do brasileiro e do mundo. O grão era valorizado, mas partia do campo em charretes. Para melhorar a distribuição, o trem chegou a todo vapor para escoar o produto. Com a locomotiva, a sociedade se agitou nas estações. Vilas se formaram, comércios se instauraram, casais se conheceram, famílias surgiram e histórias foram sendo escritas em torno dos dormentes. A equipe da Rede Minas foi até lá e conversou com representantes do setor de cultura, turismo, antigos ferroviários e moradores, que são os anfitriões da atração. O programa revive esse percurso e traz as origens, revela as heranças e mostra como elas contribuíram para o município hoje.

A cidade viveu uma revolução da economia com a chegada dos imigrantes italianos para trabalhar nas lavouras de café. Na bagagem, eles trouxeram a técnica de tecer e bordar que tornou o município referência nacional na fabricação de malhas. Há alguns anos, foi ampliada a diversidade de atrativos com a criação de rotas turísticas. Entre elas, “Rota da Revolução de 32”. Em um percurso de 65 quilômetros, o turista visita locais por onde as frotas federais passaram no que seria o maior conflito armado do século XX. Fazendas, igrejas e casarões fazem parte do roteiro, que inclui curiosas edificações, com a que abrigou o “rei do baião”, Luiz Gonzaga, então cozinheiro das tropas. O trajeto é famoso entre ciclistas e fãs da caminhada, que ganham certificado ao final do percurso.

O Estações ainda vai mostrar Poços de Caldas, Sete Lagoas, Araçaí, Cordisburgo, Curvelo, Corinto, Joaquim Felício, Bocaiúva, Glaucilândia, Montes Claros, Capitão Enéas, Janaúba, Pai Pedro, Catuti, Monte Azul, Governador Valadares, Resplendor e cidades mineiras com estações da linha férrea do trem Vitória – Minas. Todos os episódios serão disponibilizados no YouTube da Rede Minas.

A nova temporada do “Estações” faz parte da programação “Gerais+Minas”. O projeto da Empresa Mineira de Comunicação (EMC) contempla diversas ações de municipalização da programação das emissoras de comunicação do estado para mostrar a variedade da cultura, culinária, história, arte e natureza em Minas Gerais. A Empresa Mineira de Comunicação é vinculada Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult – MG).

GUIA DE EPISÓDIOS

01 – Jacutinga
02 – Poços de Caldas
03 – Sete Lagoas
04 – Araçaí
05 – Cordisburgo
06 – Curvelo
07 – Corinto / Joaquim Felício
08 – Bocaiúva / Glaucilândia
09 – Montes Claros / Capitão Enéas / Janaúba
10 – Pai Pedro / Catuti / Monte Azul
11 – Trem de passageiros Vitória – Minas
12 – Governador Valadares
13 – Resplendor

Comentários

  • Por Juscelino Silva - em Responder

    Sou fascinado por história das ferrovias, com apoio e investigação jornalística então!…
    Não vou perder um.
    Já fiz um roteiro de carro saindo de São Paulo e entrando em jacutinga. Foram dias inesquecíveis.

  • Por Newton Jose de Carvalho - em Responder

    Parabens e /rede Minas, na presença do presidente Sergio Reis, e da Jornalista AlineFrazão e o reporter cinematografico Rivadávia Alves, pelo belo trabalho produzido, voces retrataram com inteligencia, sabedoria a historia ferroviária de nossa cidade, e informamos que teremos num futuro bem proximo, o nosso passeio turistico nos trilhos novamente, o projeto foi denominado como Trem Turistico da Revolução devidamente aprovado pelo Plano Estratégico Ferroviario do Governo de Minas

Deixe um comentário