Tradições e fé na Faixa de Cinema de julho

Faixa de Cinema de julho

Em julho, na Faixa de Cinema, às sextas, às 23h45, destaque para as tradições, símbolos e questões existenciais do interior de Minas Gerais.

Confira a programação completa:

DIA 06
“Tupinambá de Olivença”
O processo de mobilização, resgate da cultura e luta pela terra, na primeira década do século XXI, dos tupinambá do sul da Bahia, que mantiveram sua identidade em segredo por várias décadas depois de massacres sofridos no início do século XX.
Direção: Tomás Amaral | Gênero: documentário

DIA 13
“O chamado de Baependi”
Zé Coió já perdeu tudo o que tinha de mais importante em sua vida por causa do vício do álcool. Não suportando mais a situação em que se encontra, um dia decide caminhar. Essa caminhada solitária o leva ao encontro de um grupo de andarilhos com os quais se identifica e se integra chegando a um destino que o surpreende. Arrebatado pela imagem de Nhá Chica, transforma sua vida.
Direção: Fábio Carvalho | Gênero: ficção

“Voz dos Sinos”
As paisagens sonoras de São João del-Rei, “cidade onde os sinos falam”. A linguagem dos sinos e o ofício de sineiro é um patrimônio imaterial tombado pelo IPHAN, e que sobrevive em cidades históricas devido à transmissão do saber popular de geração em geração, promovida pelos próprios sineiros. Este ato, que envolve tradição, amor e sobretudo preservação é o tema central deste filme.
Direção: Thiago Morandi | Gênero: documentário

“Nhá Chica – uma história de amor, milagres e sacrifícios”
A história de Nhá Chica, Francisca de Paula de Jesus, nascida em Santo Antônio do Rio das Mortes, distrito de São João Del Rei, no ano de em 1808, batizada e declarada filha legítima e neta de escravos. Ainda pequena, em 1818, foi com a família mudando-se para Baependi, onde passou toda sua vida e recusando-se a se casar para melhor se dedicar a Deus e as pessoas mais necessitadas. O documentário mostra as graças alcançadas pelos devotos e registra a romaria que sai de Três Corações a Baependi todos os anos, cujos romeiros vão pagando suas promessas pelas estradas marcadas pelos bandeirantes, até ao Santuário de Nhá Chica.
Direção: Denis Curi

DIA 20
“Sopro”
A existência humana e os mistérios da vida e da morte, mostrados no cotidiano de uma pequena vila rural no meio do nada, no interior do Brasil, onde algumas famílias vivem, há anos, isoladas de maiores contatos com o mundo exterior. O vento, a poeira, as montanhas, o silêncio, o tempo… Entre o inventário e o imaginário deste lugar, o homem e a natureza convivem – harmônica e conflituosamente, na imensidão de uma paisagem que parece esgotar o olhar.
Direção: Marcos Pimentel | Gênero: documentário

DIA 27
“O cineasta”
História de um jovem comum que decide registrar o seu cotidiano com um aparelho de telefone celular e produzir um filme.
Direção: Leandro Martins | Gênero: Ficção

       

Deixe um comentário