Programação de cinema continua nas terças de fevereiro

As terças de cinema continuam em fevereiro na Rede Minas, sempre às 22h30. Neste mês, a seleção de filmes, documentários e curtas tem como destaque obras que ressaltam símbolos da cultura urbana de Belo Horizonte e também a maior festividade nacional da época, o carnaval.

filmesfevereiro

DIA 07

LUNARIUM SONHOS E UTOPIA
O documentário remete ao ano de 1968 e narra a trajetória de Sissi, uma mulher que se lançou em movimentos de resistência à ditadura brasileira e acreditou em experiências de transformações sociais. A história revela um tempo de sonhos e utopias e traz a memória feminina pautada pelas fases lunares.
Roteiro: Elza Cataldo e Ricardo de Andrade / Direção: Elza Cataldo / 2011

LUNARIUM RETRATOS EM AZUL
Curta de ficção que acompanha o processo de criação da poeta Henriqueta Lisboa – privilegiando sua correspondência com Mário de Andrade – e da escultora Jeanne Milde, duas artistas que marcaram de forma singular a história da cidade de Belo Horizonte. Um resgate da memória feminina por meio de duas personagens sensíveis e talentosas.
Roteiro: Elza Cataldo e Pilar Fazito / Direção: Elza Cataldo / 2011

METRÓPOLES
Homenagem a um dos cinemas mais tradicionais da cidade, o Cine Metrópole, que foi fechado em 1983, o documentário mostra a desativação ou a mudança de função de prédios que antes abrigavam antigos cinemas de Belo Horizonte. O filme propõe uma reflexão sobre a necessidade do resgate da memória coletiva de uma comunidade, ao constatar a transitoriedade que rege os processos sócio-culturais e as relações pessoais na sociedade.
Direção: Bellini Andrade / 2012

DIA 14

SAMBA-CANÇÃO
Zé Rocha está tentando produzir Samba-Canção, seu primeiro longa-metragem, mas diante dos obstáculos e sucessivos cortes de orçamento, o artista vê seu filme gradualmente diminuído em seu formato – de uma grande produção em 35 mm colorido, seu sonho passa a ser preto & branco, 16 mm, super-8 e, finalmente, vídeo. Ao lado de Edna Marla, produtora que busca a fórmula da emulsão cinematográfica 100% nacional, de Dona Martírio, mãe e ex-militante de esquerda, de Guará Rodrigues, astro do cinema marginal, e Lila Lessa, estrela da novela das seis, estratégias e planos mirabolantes são desenvolvidos para vencer a verdadeira batalha que se tornou fazer cinema no Brasil.
Direção: Rafael Conde /2002

DIA 21

O SOM QUE VEM DAS RUAS
O documentário conta a história dos MCs da cultura Hip Hop em Belo Horizonte, fazendo um recorte que parte do início da década de 1980 e chega na primeira geração de rimadores do Duelo de MCs. “O Som que Vem das Ruas” é um projeto realizado pelo coletivo Família de Rua e reúne o trabalho de MCs e beatmakers belo-horizontinos.
Direção: Eduardo Zunza e Daniel Veloso / Direção musical: Roger Dee / 2011

BH SOUL: A CULTURA BLACK DE BELO HORIZONTE
O documentário retrata a cultura urbana do soul em Belo Horizonte, ligada à música e à dança funk dos anos setenta. Os eventos atuais do gênero, como o Baile da Saudade e o Quarteirão do Soul, são o ponto de partida de uma pesquisa histórica que mergulha nas décadas de 70 e 80, época em que os dançarinos de soul vinham da periferia para o centro da cidade, com seus cabelos ouriçados e trajes a caráter para dançar e se divertir em clubes noturnos, driblando a repressão da época.
Direção: Tomás Amaral / 2010

DIA 28

RODA
Entre sambas e memórias, compositores, intérpretes e instrumentistas da Velha Guarda do Samba de Belo Horizonte fazem roda.
Direção: Carla Maia e Raquel Junqueira / 2011

MESTRE CONGA
Um convite para conhecer um pouco da história do carnaval e seus baluartes, que ainda se fazem vivos na memória da luta pela permanência de uma das festas mais populares de nosso país. O documentário “Mestre Conga – O Inconfidente do Samba” traça um paralelo entre a vida do sambista e sua relação com o carnaval da capital mineira, resgatando suas memórias e somando a elas a convergência entre a vida deste ancião, que em 1950 fundou o agora tradicional Grêmio Recreativo Escola de Samba Inconfidência Mineira, e o percurso histórico do carnaval em Belo Horizonte.
Direção: Chiquinho Matias / 2013

       

Deixe um comentário