Série mostra movimentos e histórias da dança em Minas Gerais

Série Retratos da Dança

Bailarinos de renome contam sua vida no palco e mostram movimentos que conquistaram o mundo

Em Minas Gerais, são muitas as companhias e dançarinos que ganharam espaço nos palcos e ruas do Brasil e do mundo e conquistaram prestígio. Entretanto, a trajetória dos bailarinos que formaram sua carreira no estado ainda é desconhecida por grande parte do público. Pensando nisso, a Rede Minas exibe a série “Retratos da dança”, a partir de 11 de março, às 21h45, trazendo grandes nomes que contribuíram para essa arte ter se tornado uma referência.

A série dá espaço para diferentes dançarinos que avançaram as fronteiras e permitiram a experimentação, como na dança contemporânea, tão aplaudida nos dias de hoje. Nos episódios, eles respondem a pergunta que não quer calar: “por que eu danço?”, sem deixar de lado a apresentação das suas coreografias.

Essa é a segunda etapa de um projeto que busca dar visibilidade à dança no estado. Em novembro de 2018, minidocs com duração de 1 minuto levaram alguns desses movimentos e reflexões aos intervalos e redes sociais da emissora.

 

Agora, em 16 episódios de meia hora, a série mergulha nos movimentos e histórias do Ballet Jovem de Minas Gerais, Éden Peretta (Coletivo Anticorpos), Coletivo Movasse, Rede Sola de Dança, Cia.NósLáEmCasa, Grupo Contemporâneo de Dança Livre, Cib Maia, Junia Bertolino, Rodrigo Pinheiro, Marise Dinis, Dudude Herrmann, Eduardo Sô, Vitória Regina, Thembi Rosa, Suely Machado e Paola Rettore.

No primeiro episódio, a bailarina Dudude Herrmann. Ela começou sua carreira no TransForma Centro de Dança Contemporânea e passou por grupos como Galpão, Primeiro Ato, Cia Burlantins, Palácio das Artes, Centre Chorégraphique National (Orléans – França), entre outros. No programa, ela conta sobre técnicas, experimentação, sua paixão pela dança e sua experiência nos palcos e, até mesmo, nas ruas. Na semana seguinte, dia 18, às 21h45, a série exibe um novo episódio com o Coletivo Movasse.

 

       

Comentários

  • Por João Antônio Pereira dos santos jr - em Responder

    Gente não me vejo fora do cenário esportivo artístico de Minas embora esteja vivendo no rio contem comigo qualquer coiza me chamem no e-mail salve boa forma graças a dança somos patrimonio cultural brasileiro ok não esqueça a vida valhe a pena quando a alma não é pequena arena e areena!!!

Deixe um comentário