“Quartas Especiais” têm programação de shows e documentários

Rede Minas apresenta programação especial de fim de ano e noites de quarta têm shows e documentários.

As quartas de dezembro na Rede Minas têm um horário especial, 23h, com uma programação que reúne performances musicais e documentários para destacar a história e a riqueza de símbolos da cultura brasileira, em encontros de diferentes linguagens que vão da literatura à música e ao audiovisual. Confira o que vem por aí:

Toninha Horta

07/12 – A Música Audaz de Toninho Horta

Focado na carreira e trajetória artística de um dos mais admirados e renomados músicos mineiros, o documentário busca, através de depoimentos de artistas, amigos e familiares, apresentações musicais e diversos materiais de arquivo, trazer à tona um pouco mais da importante contribuição de Toninho Horta para a música mineira e brasileira. Ao longo de 40 anos, Toninho Horta participou de momentos marcantes da Música Popular Brasileira, a começar pelos festivais da canção do final da década de 60, passando pelos anos 70 ao lado de Milton Nascimento, Elis Regina, Maria Betânia e Gal Costa, entre tantos outros, bem como no movimento que passou a ser reconhecido como Clube da Esquina, e culminando nos anos 80 e 90 com sua valiosa aproximação com o Jazz e renomados músicos americanos. Uma trajetória marcada por originalidade e sonoridade inconfundíveis, admiradas não só pelo público, mas também por artistas de diferentes nacionalidades, como Milton Nascimento, Raul de Souza, John Pizzarelli, Nana Caymmi, Joyce, Beto Guedes e Lô Borges. O documentário é dirigido por Fernando Libânio.

 

Memórias em Improvisos
14/12 – “Vivo na Flauta” e “Memórias em Improvisos: Mano a Mana”

Vivo na Flauta mostra a história da flauta brasileira através de três gerações. A primeira geração representada pelo mestre Altamiro Carrilho, que com 82 anos continua em plena atividade; a segunda representada pelo multi-instrumentista Carlos Malta, que aos 46 anos é considerado um dos grandes nomes da flauta brasileira; e a terceira geração descoberta através de indicações de músicos, escolas de músicas e jornalistas.Um misto de movimentos, sons e interpretações, com elementos cênicos capazes de transmitir as mais sutis recordações. Assim é Memórias e Improvisos: Mano a Mana, peça estrelada pelos irmãos Marcos e Karina Souza, que resgatam lembranças do pai, o músico e compositor Chico Mário, irmão do sociólogo Betinho e do cartunista Henfil. Com inúmeros improvisos e o uso de linguagens artísticas distintas, como música, dança, teatro, textos e gravações, o espetáculo tem como roteiro referencial o texto “Memória de Hospital”, escrito por Chico Mário. A peça é dirigida por Chico Pelúcio.

 

Rio, à beira do ir
21/12 – Rio, à beira do ir

Um documentário sobre memórias: memórias de um rio São Francisco caudaloso e cheio de peixes. Um documentário também sobre (in)certezas do futuro do velho chico, que agoniza e se agoniza. Direção: Leandro Lopes
Ano: 2016

 

Quarteto Libertas

28/12 – Different trains
Interpretada pelo Quarteto Libertas para celebrar os 80 anos do norte-americano Steve Reich, Different Trains, obra essencial do compositor escrita em 1988, diz sobre um tempo passado e foi criada para quarteto de cordas e material sonoro pré-gravado. O concerto traz ainda o Quarteto de cordas nº 1, do tcheco Erwin Schulhoff, e o Quarteto do Adeus, do gaúcho Daniel Wolff, compositores de origem judaica, assim como Reich. A apresentação conta com uma instalação em vídeo que traz imagens de arquivos de judeus antes da II Guerra Mundial e cenas dos EUA nos anos 1980. Different Trains foi vencedora do Grammy de 1989 na categoria Melhor Composição Clássica Contemporânea.

       

Deixe um comentário