Programa Mulhere-se ganha Prêmio Mineiro de Direitos Humanos

combomulherese

O Programa Mulhere-se ganhou mais um prêmio para a tv pública mineira. Após ganhar uma premiação internacional no Festival Iberoamericano da Cultura Viva em março de 2017, a equipe produtora recebeu mais um título na última quarta-feira, 13 de dezembro: o Prêmio Mineiro de Direitos Humanos 2017.

Neste ano, foram avaliadas ações, programas ou projetos voltados às iniciativas de Mídia e Direitos Humanos. A premiação foi concedida nas seguintes categorias: Coletivos de Comunicação, Produção jornalística em áudio; Produção jornalística em texto; Produção jornalística em vídeo; Produção jornalística em internet; Foto jornalismo; reportagem especial e Campanha.

Criada em 2015, a premiação tem o objetivo de valorizar os segmentos que se destacaram nas práticas de promoção, proteção e defesa dos direitos humanos no Estado. Na primeira edição foram premiados 33 municípios em Minas Gerais que registraram índice zero de homicídio nos últimos 10 anos e ano passado a premiação teve como tema “Mediação de Conflitos Coletivos e Outras Formas de Prevenção e Solução Pacífica de Conflitos Coletivos”.

A série Mulheres de Lei, terceira temporada do programa, é construída com recorte étnico racial, trazendo em seu corpo o enfrentamento ao racismo, o protagonismo, a formação e o fortalecimento dos segmentos prioritários de mulheres no estado. A equipe do Mulhere-se destaca que, “cada mulher reúne em si outras diversas identidades, diferenças étnicas, geracionais, orientação sexual, e outras características. Quando as diferenças são transformadas em desigualdades, torna-se urgente a promoção da igualdade de direitos, e nesse sentido, a série busca propagar e fortalecer a incorporação das especificidades dos grupos de mulheres no reconhecimento de seus direitos, acesso à justiça e nas políticas públicas”.

       

Deixe um comentário