O adeus a Ferreira Gullar

Ferreira Gullar FOTO: TV Brasil Memórias/Arquivo

Ferreira Gullar FOTO: TV Brasil Memórias/Arquivo

O poeta, escritor e teatrólogo maranhense Ferreira Gullar faleceu na manhã do último domingo (04/12) no Rio de Janeiro, aos 86 anos. Um dos maiores autores brasileiros do século XX, Gullar foi eleito “imortal” da Academia Brasileira de Letras (ABL) em 2014, tornando-se o sétimo ocupante da cadeira nº 37. Segundo a ABL, o poeta foi vítima de uma pneumonia.

Nascido José de Ribamar Ferreira, em São Luís do Maranhão, em 10 de setembro de 1930, Gullar, além da vida de poeta, foi nome importante no teatro. Após o golpe militar, ele e um grupo de jovens dramaturgos e atores fundou o Teatro Opinião, que teve importante papel na resistência democrática à ditadura militar. Nesse período, escreveu, com Oduvaldo Vianna Filho, as peças “Se Correr o Bicho Pega, se Ficar o Bicho Come” e “A Saída? Onde Fica a Saída?”. Seu último livro foi “Autobiografia poética e outros textos”, lançado este ano.

Em viagem ao Rio de Janeiro, em 2012, o Imagem da Palavra entrevistou Ferreira Gullar. O programa destacou sua até então mais recente obra, “Em alguma parte alguma“, que tratou dos seus 80 anos de vida. Na conversa com a apresentadora Guga Barros, Gullar comentou sua dedicação ao jornalismo, à poesia e à crítica de arte.

 

 

 

Em outras ocasiões, a poesia do autor também permeou o programa Imagem da Palavra.

       

Deixe um comentário