Julho na Rede Minas: comemorações, especiais e muita história

Julho foi um mês pra lá de agitado na Rede Minas. E se você estava de férias e acabou ficando um pouco por fora do que estava rolando, calma que vamos relembrar aqui os destaques do que aconteceu neste período.

A Rede Minas completa 35 anos em 2019 e iniciou as celebrações pela data com o lançamento de um selo comemorativo e peças que fortalecem a cultura e as riquezas de todo o estado de Minas Gerais.

Também foi lançado o portal “Rede Minas Memória, que permite uma viagem pelo acervo audiovisual da emissora, com trechos de entrevistas, espetáculos e reportagens exibidos na emissora desde 1984.

 

Por falar em memória e história, o Jornal Minas começou a exibir a série “Museus, que mostra o rico patrimônio conservado em Minas. Os primeiros locais visitados foram o Museu Casa Guignard e o Museu Casa Alphonsus de Guimaraens. A série chega ao fim em 1/8, no Museu Casa Guimarães Rosa.

 

 
Outra série também foi destaque no Jornal Minas. O conhecimento teórico e o fazer prático no jornalismo deram origem à série “Pauta Livre”, produzida e executada pelos estagiários da emissora.

 

Se precisarmos de uma trilha sonora para todos esses conteúdos de julho, definitivamente o gênero escolhido será o rock. Ele tomou conta da programação com especiais no Alto-Falante (três edições especiais, para quem gosta de muito delírio), Coletânea e Harmonia, que apresentaram entrevistas sobre os rumos do rock, a cena musical mineira, grandes clássicos, a participação das mulheres no rock n’ roll e shows que uniram este gênero ao erudito. Se depender de nós e do Neil Young, o rock não deve morrer nunca!

       

Deixe um comentário