Jornal Minas destaca o futebol feminino de BH

A bola rola na terra, não tem campo, não tem estrutura, não existem patrocinadores e mesmo com condições precárias, a vontade de jogar futebol é gigante. “Eu não me imagino vivendo outra coisa, que não seja isso aqui, que não seja o futebol.” diz uma das atletas do Manchester Futebol Clube.

O preconceito com o futebol feminino é algo cultural que foi implantado na sociedade. A menina que gosta de futebol e que joga futebol, não é bem vista dentro do ambiente social cultural. É uma intolerância que está ligada a desvalorização de um time feminino.

Apesar disso, com a criação da Lei Profut, ocorreu o incentivo do crescimento da modalidade feminina no Brasil. O fenômeno ocorreu principalmente em times reconhecidos pelo futebol masculino, como Santos e São Paulo, além do América em Minas Gerais. A tendência é que a valorização ocorra de forma gradativa e o preconceito diminua, mesmo que em longo prazo.

Confira a discussão sobre a situação do futebol feminino, em matéria do Jornal Minas.

       

Deixe um comentário