Filmes e shows movimentam as terças e sextas de janeiro

No embalo das programações especiais que agitaram a Rede Minas no último mês, em janeiro a emissora exibe uma série de filmes, documentários e curtas às terças, às 22h30, e passa a contar com um horário dedicado à música, com shows e concertos às sextas, às 23h. E ainda temos uma boa notícia para aqueles que, na correria de fim de ano, não puderam conferir todas as atrações inéditas que foram ao ar: algumas delas estão incluídas nessa programação. Prepare a pipoca (ou o pão-de-queijo, se preferir), chame os amigos e confira o que vem por aí:

Programação janeiro 2017 - terças
DIA 03
A programação começa com três documentários produzidos pela Rede Minas em 2016.

MUQUIFU
Documentário sobre o único museu de favela de Minas Gerais, o Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (Muquifu). A produção aborda a origem e, sobretudo, o papel de um museu de favela: um lugar onde o mais importante são as histórias por trás de cada objeto.
Direção e edição: Luiz Matoso | Produção: Cláudio Henrique

CULTURA DO ÓDIO
Documentário sobre a intolerância vivenciada nas redes sociais, na política, no futebol e o ódio direcionado às chamadas minorias. A filósofa Márcia Tiburi e o psicanalista Fábio Belo falam sobre a cultura do ódio no Brasil e como podemos evitar esse sentimento entre as pessoas.
Direção: Leandro Lopes | Ano: 2016

RIO, À BEIRA DO IR
Um documentário sobre memórias: memórias de um rio São Francisco caudaloso e cheio de peixes. Um documentário também sobre (in)certezas do futuro do velho chico, que agoniza e se agoniza
Direção: Leandro Lopes | Ano: 2016

DIA 10
Esta terça apresenta três curtas do edital Filme em Minas, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, e um documentário da Rede Minas sobre a tragédia de Mariana.

O BLOQUEIO
Baseado no trabalho de Murilo Rubião, conta a história de Gerion, um ocupante de um edifício solitário perturbado por uma imensa quantidade de ruído. Atormentado e quase louco, ele se pergunta: eles estão construindo ou destruindo?
Direção: Cláudio de Oliveira e Fernando Rabelo | Animação | 2002

ÉGUN
A história de um pescador na busca por compreender os fatos que levaram à morte de seu pai, abordando a relação entre a condição sociocultural de moradores de uma comunidade litorânea e a tradição espiritual afro-brasileira do Candomblé.
Direção e roteiro: Helder Quiroga | Animação | Classificação indicativa: livre

OXUM
A saga dos orixás para salvar a humanidade da seca e da fome na Terra, culminando no sacrifício de Oxum que, de um lindo pavão, vê-se transformar-se em abutre. Baseada na mitologia iorubá.
Direção: Denis Leroy | Animação | Classificação indicativa: livre

OLHAR MARIANA
Um documentário que relembra o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, baseado em depoimentos dos repórteres, cinegrafistas e auxiliares da Rede Minas que acompanharam de perto os acontecimentos em Mariana, Barra Longa, Governador Valadares e outros municípios atingidos durante as semanas posteriores à tragédia. É uma homenagem às vítimas e uma reflexão pela mineração sustentável.
Direção: Paolo Xavier | Roteiro: Marcos Maia

DIA 17
Tradição, talento e cultura popular mineira em destaque nesta terça, que traz dois curtas e um longa do edital Filme em Minas.

GALINHA AO MOLHO PARDO
Baseado em conto do livro “O Menino no Espelho”, de Fernando Sabino, o filme conta a história do menino Fernando, que vive aventuras ao tentar salvar a vida de uma galinha que seria preparada ao Molho Pardo pela cozinheira Alzira para o almoço de domingo.
Direção: Feliciano Coelho | Ficção | 2007 | Classificação indicativa: livre

O RONCO DA BARRIGA
Um belo dia, Pedro, um mineiro danado de esperto, acorda com o roncar de sua barriga, que mais parece o ronco de onça querendo comida. Sem posses e sem dinheiro, Pedro sabe que precisa matar sua fome, antes que a fome acabe com ele. O curta-metragem faz parte do projeto “Gente Mineira”, baseado em relatos orais anônimos que passam de geração a geração.
Direção: Alfredo Alves | Ficção | 21’ | 2005 | Classificação indicativa: 12 anos

ZUZU ANGEL
A trajetória da estilista mineira Zuzu Angel, que inaugurou a moda brasileira capaz de encantar o mundo, é o destaque desta noite. Sua lista de clientes incluía grandes celebridades internacionais como Joan Crawford, Kim Novak e Liza Minelli, e suas matérias primas iam de panos de colchão e chita a pedras preciosas. Nos anos 60, enquanto conquistava páginas inteiras em grandes jornais como The New York Times e The New York Post, seu filho Stuart Angel Jones tornava-se militante do MR-8 durante o regime militar brasileiro.
Direção: Sérgio Resende | Gênero: Ficção | Ano: 2006 | Classificação indicativa: 14 anos

DIA 24
História, sabedoria, música e personagens da cultura mineira em destaque nos dois documentários desta noite.

SERRA DO ESPINHAÇO
Produzido pela Rede Minas, o documentário é um registro do 2º Encontro dos Povos do Espinhaço, realizado em 2016 em Tabuleiro, acolhedor distrito de Conceição do Mato Dentro, e que contou com rodas de conversa, vivências e apresentações culturais de grupos e mestres da saberia popular da região. A ocupação da cordilheira, que é a maior do Brasil, é milenar e reúne diversos grupos tradicionais, como indígenas e quilombolas.
Direção: Luiz Matoso

A MÚSICA AUDAZ DE TONINHO HORTA
Focado na carreira e trajetória artística de um dos mais admirados e renomados músicos mineiros, o documentário busca, através de depoimentos de artistas, amigos e familiares, apresentações musicais e diversos materiais de arquivo, trazer à tona um pouco mais da importante contribuição de Toninho Horta para a música mineira e brasileira. Ao longo de 40 anos, Toninho Horta participou de momentos marcantes da Música Popular Brasileira, em festivais no final da década de 60, passando pelos anos 70 ao lado de Milton Nascimento, Elis Regina, Maria Betânia e Gal Costa, entre tantos outros, bem como no Clube da Esquina, e culminando nos anos 80 e 90 com sua valiosa aproximação com o Jazz e renomados músicos americanos. Uma trajetória marcada por originalidade e sonoridade inconfundíveis, admiradas não só pelo público, mas também por artistas de diferentes nacionalidades, como Milton Nascimento, Raul de Souza, John Pizzarelli, Nana Caymmi, Joyce, Beto Guedes e Lô Borges.
Direção: Fernando Libânio

DIA 31
Descobertas e noções de pertencimento guiam as produções desta terça, que apresenta três curtas do edital Filme em Minas e um documentário da Rede Minas sobre o sertão de Guimarães Rosa.

MERCÚRIO
Estranhos fenômenos acontecem com um rapaz numa praça de Belo Horizonte. Um homem na fronteira entre o sonho e a realidade. Baseado no conto: “Eu quero voltar naquela praça” de Maria Thereza Torres.
Direção: Sávio Leite | Animação | 2007 | Classificação indicativa: livre

BALANÇOS E MILKSHAKES
Um amor vivido por duas crianças é lembrado por um narrador.
Direção: Erick Ricco e Fernando Mendes | Animação | 2010 | Classificação indicativa: livre

O CÉU NO ANDAR DE BAIXO
Desde os 12 anos de idade, Francisco faz fotografias de céu. Um dia, algo diferente aparece em uma de suas fotografias mudando a sua rotina.
Direção: Leonardo Cata Preta | Animação | 2010 | Classificação indicativa: 12 anos

PERTENSENÇA OU O ENCHARCAR-SE DE SERTÃO
Documentário sobre o projeto O caminho do Sertão, um mergulho sócio-eco-literário que leva caminhantes a percorrer locais descritos na obra “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa.
O filme é um ensaio-poético que desbrava paisagens do sertão de Minas Gerais e questiona a noção de pertencimento, do que é ser sertanejo hoje, as questões ambientais que afligem atualmente a região e a experiência que os 50 caminhantes levam da jornada.
Direção: Leandro Lopes

Programação janeiro 2017 - sextas

DIA 06
DIFFERENT TRAINS, PELO QUARTETO LIBERTAS
Interpretada pelo Quarteto Libertas para celebrar os 80 anos do norte-americano Steve Reich, Different Trains, obra essencial do compositor escrita em 1988 (vencedora do Grammy de 1989 na categoria Melhor Composição Clássica Contemporânea), diz sobre um tempo passado e foi criada para quarteto de cordas e material sonoro pré-gravado. O concerto traz ainda o Quarteto de cordas nº 1, do tcheco Erwin Schulhoff, e o Quarteto do Adeus, do gaúcho Daniel Wolff, compositores de origem judaica, assim como Reich. A apresentação conta com uma instalação em vídeo que traz imagens de arquivos de judeus antes da II Guerra Mundial e cenas dos EUA nos anos 1980. A apresentação é comentada pelo percussionista Werner Silveira.

DIA 13
DELEGASCIA – 1ª PARTE
DelegasCia é uma jam session que acontece semanalmente na A Casa de Cultura, na região sudeste de Belo Horizonte, e tem como anfitrião o músico Thiago Delegado. O projeto virou um documentário que reúne performances musicais, depoimentos, entrevistas e imagens de arquivo, buscando transportar o clima que permeia o ambiente das sessões que recebem sempre um público animado. Mateus Bahiense, Sérgio Danilo, Sérgio Pererê, Gustavo Maguá, Ricardo Acácio, Aline Calixto, Diza Franco, Samy Erick, Warley Henrique, Flávio Renegado são algumas das canjas registradas.

DIA 20
FLÁVIO RENEGADO – SUAVE AO VIVO
A sonoridade urbana do cantor e compositor são evidenciadas na apresentação Suave ao Vivo, realizada em 2013 no Parque Municipal de Belo Horizonte, que contou com a presença de convidados especiais como o grupo Meninas de Sinhá (do Alto Vera Cruz, como Flávio) e os cantores Rogério Flausino (Jota Quest) e Aline Calixto. Com direção musical de Liminha e Kassin, além da direção artística de Gringo Cardia, o show traz um apanhado de composições dos dois primeiros álbuns do cantor, Do Oiapoque a Nova York (2008) e Minha tribo é o mundo (2011). Estão no repertório canções como Meu canto, A coisa é séria, Mil grau, Zica e Suave.

       

Deixe um comentário