Filme sobre Atlético, inédito na TV aberta, é destaque da Faixa de Cinema desta sexta (25)

A Faixa de Cinema exibe “Contra o vento”, de Diego Lisboa. O filme mostra a saga do Atlético-MG na Copa Libertadores, de 2013. O longa traz grandes momentos dos jogos e depoimentos de torcedores, jogadores e comissão técnica, que descrevem a grande vitória do campeonato sul-americano que marcou a história do clube. A exibição, inédita na TV aberta, é nesta sexta (25), às 23h.

A inspiração do diretor para o filme

O diretor de “Contra o vento”, Diego Lisboa, é baiano. O encontro com o Galo se deu por causa de Ronaldinho Gaúcho. Na época, gravava, em Minas Gerais, o filme “R49, o Meteoro Atleticano” sobre o jogador, quando decidiu mostrar a luta do Atlético pela classificação na Copa Libertadores da América.

“Pensei: isso vai dar título”


Diego Lisboa, diretor
Diretor Diego Lisboa e Ronaldinho Gaúcho – Foto: acervo pessoal Diego Lisboa

Ele apostou e acompanhou todos os jogos, “perrengues”, como hoje brinca. “Não sabia se o filme ia dar certo. Só daria se o Galo fosse campeão”. As lentes das câmeras acompanharam o drama do clube e da torcida, que bradava “eu acredito”, grito que se tornou um mantra na ocasião. O resultado foi comemorado no dia 24 de julho de 2013. O Atlético venceu o Olimpia, do Paraguai, nos pênaltis e se consagrou campeão.

Torcida do Galo – Crédito: Diego Lisboa
Refrões e muito suor: a aflição do torcedor e o preparo do time

Para a produção, Diego Lisboa acompanhou as partidas que levaram o Atlético à vitória e a rotina do time. “A casa do Ronaldinho Gaúcho era nosso QG”, conta ele, que revela: “quem acompanha o filme percebe como Ronaldinho se afeiçoou, verdadeiramente, pelo Galo”. Além do ídolo, o longa mostra treinos e traz depoimentos do então treinador Cuca e de jogadores como Réver, Jô, Diego Tardelli e Leonardo Silva.

Os torcedores são protagonistas da obra. “A gente ia nos ônibus com a Galoucura, de avião com torcedores para a Argentina, acompanhamos o jogo no México”, lembra, e completa: “Contamos o que aconteceu em campo, mas nosso foco é o torcedor. A gente tinha o dever de entender a torcida do Galo”. E deu para entender? O cineasta carrega o sotaque baiano e, em meio a risos, responde:

“Rapaz! É um torcedor doido mesmo. É Galo doido mesmo. Isso fica muito claro no filme. A gente registrou”


Diego Lisboa, diretor

O final dessa história todos sabem: Atlético campeão da Libertadores, mas mesmo com spoiler vale assistir o longa, que traz imagens inéditas e exclusivas, todas de alta qualidade, os bastidores do título e a emoção gerada em uma das maiores conquistas da história atleticana. “Minha intenção foi essa: eternizar aquele momento, que você vibra de novo”, diz Diego.

Deixe um comentário