Evento apresenta campanha “É Público. É Comum.”

Foi lançada nesta segunda-feira, 06 de julho, no auditório da Rede Minas, a campanha “É público. É comum”. O objetivo, nesse primeiro momento, é debater o uso e a ocupação dos espaços públicos no estado. Além dos servidores da TV, várias entidades de representação social, associações comunitárias, pessoas ligadas à vida pública entre outras estiveram presentes no evento, em que foi exibida a produção dos vídeos a serem veiculados na interprogramação.

De acordo com o presidente da emissora, Israel do Vale, a intenção é estreitar os canais de relacionamento com a sociedade em diversos âmbitos: “Esse é um momento de diálogo. Essa série tem a ver com isso, ampliar a participação e a colaboração das pessoas para reconstruir essa emissora”.

Evento de lançamento

Representantes de várias entidades estavam presentes no evento, como a “União Estadual dos Estudantes”, o “Sarau das Cachorras”, a “Associação Comunitária do Alto Vera Cruz”, as “Baianas Ozadas”, o “Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais”, o projeto “Favela é Isso aí” entre outras que deram contribuições a respeito do papel da TV junto à sociedade.

A série produzida conta com mais de 15 vídeos, os quais vão ser veiculados nos intervalos da programação. Com diferentes temáticas e conceito documental, a campanha procura refletir a utilização dos espaços públicos de uma cidade, começando um apontamento para a discussão sobre os papeis a serem desempenhados pela emissora.

15

As gravações das peças se deram a partir de cenas ocorridas em Belo Horizonte e em algumas cidades do interior. São fragmentos do cotidiano sobre trabalho, esporte, lazer, música, dança, poesia, a arte em geral e os meios de transporte, por exemplo.

As produções desenvolvidas pelo Núcleo de Arte e Chamadas mostram, portanto, diferentes territórios: ruas, praças, parques, avenidas, viadutos, com depoimentos das pessoas que falam de seu entendimento sobre o que vem a ser esse “espaço público”.

Segundo Israel do Vale, a campanha “é apenas um primeiro passo dentro da construção de uma relação de diálogo com toda a sociedade”.

       

Deixe um comentário