Cinema de animação e documentários na Faixa de Cinema de agosto

cinema

Em agosto, na Faixa de Cinema, às sextas, às 23h45, tem destaque para as animações e documentários produzidos em Minas Gerais.

Confira a programação disponível até o momento:

DIA 03
“O quebra cabeça de Tarik”
O cientista Tarik está bem velho, mas nem cogita a possibilidade de morrer. Se partes do seu corpo já não resistem ao tempo, ele adapta máquinas que as substituam. Em seu laboratório subterrâneo, Tarik se prepara para receber a peça fundamental do seu grande projeto de vida.
Direção: Maria Leite  | Gênero: Animação, Ficção 

“Casa de máquinas”
Uma chave inicia o funcionamento de uma complexa estrutura mecânica onde planejadas reações em cadeia e acaso se misturam em cooperação. O movimento é mostrado em seu princípio enquanto energia e o caminho em que percorre, seja esse rumo à sincronia, caos ou algo entre os dois.
Direção: Maria Leite e Daniel Herthel  | Gênero: Animação 

“Konãgxeka: o dilúvio Maxakali”
Konãgxeka na língua indígena maxakali quer dizer “água grande”. Trata-se da versão maxakali da história do dilúvio. Como um castigo, por causa do egoísmo e da ganância dos homens, os espíritos yãmîy enviam a “grande água”.
Direção: Isael Maxakali e Charles Bicalho  | Gênero: Animação

“Oxum”
Oxum conta a saga dos orixás para salvar a humanidade da seca/fome na Terra, culminando no sacrifício de Oxum que, de lindo pavão, vê-se transformar-se em abutre. Baseada na mitologia iorubá, Oxum traz uma perspectiva visualmente experimental aliada à tradicional oralidade da cultura afro-brasileira.
Direção: Denis Leroy  | Gênero: Animação

DIA 10

“Pequenas Lonas”
Atualmente, mais de 2.000 circos circulam pelo Brasil. A maioria, quase 1.500, é formada por pequenos circos mambembes com pouca estrutura, que se apresentam por bairros de periferia e cidadezinhas e vilarejos do interior do país. Alguns deles estão neste filme.
Direção: Marcos Pimentel  | Gênero: Documentário

DIA 17

“Oswaldo França Jr”
O documentário Oswaldo França Jr, narra a história da vida do autor, um escritor mineiro que esteve na crista da onda nos anos 70/80. Seus livros foram traduzidos na França, EUA, Alemanha, entre outros. Antes de enveredar pela escrita, Oswaldo França Júnior foi piloto da FAB e expulso em 1964 em razão do Golpe Militar. Veio em seguida para Belo Horizonte, onde realmente se dedicou a carreira de escritor se tornando um grande romancista com o livro “Jorge um brasileiro”, ganhador do prêmio Walmap em 1967, sendo um dos jurados Guimarães Rosa.
Direção: Denis Curi | Gênero: Documentário

DIA 24

“Kappa Crucis”
Entre o cotidiano e a imensidão do universo, o documentário entra na órbita do professor Bernado Riedel, um lenda viva da astronomia brasileira.
Direção: João Borges | Gênero: Documentário

“Minas Hotel”
No Minas Hotel, fechado pela vigilância sanitária, vivem sozinhos Dona Lota, Carlinhos e Dita.
Direção: Marília Lima | Gênero: Documentário

“Vento Virado”
Quando você levanta uma criança acima de sua cabeça, ela se assusta e o seu vento vira.
Direção: Leonardo Capa Preta | Gênero: Ficção

DIA 31

“O Filme da Montagem”
Os montadores Ricardo Miranda e Joana Collier montam o filme de Paulo Cesar Saraceni “O Gerente”, baseado em conto de Carlos Drummond de Andrade, projeto antigo do diretor e que veio a se tornar seu último filme.
Direção: Fábio Carvalho 

“Guignard Imaginário” 
As aulas de desenho e pintura na Escolinha do Parque em Belo Horizonte, as paisagens da cidade histórica de Ouro Preto e os retratos são marcos do trabalho do pintor brasileiro Alberto da Veiga Guignard destacados em um diálogo fictício com o artista através de cenas imaginárias. A narrativa é baseada nas histórias ouvidas por diversas pessoas que conviveram com Guignard, inclusive o pai da diretora, e em diversas biografias do artista.
Direção: Isabel Lacerda | Gênero: Experimental

“‘Guignard': do mundo a Ouro Preto”
Vídeo que apresenta um pouco da vida e obra de Alberto da Veiga Guignard, um dos maiores expoentes da pintura brasileira, com ênfase em sua permanência na cidade de Ouro Preto, no final de sua vida.
Direção: Tomás Amaral

 

       

Deixe um comentário