A produção de cinema em Cataguases

Localizada na Zona da Mata mineira, a cidade de Cataguases é uma das candidatas ao título de cidade criativa pela Unesco. O Jornal Minas, por meio de uma série de reportagens, mostrou os diferentes lados da cidade como importante polo audiovisual brasileiro.

O pioneirismo de Humberto Mauro
O início da relação da cidade com o audiovisual tem como personagem principal o cineasta Humberto Mauro. Na década de 20, o mineiro tem os seus primeiros contatos com as ferramentas de produção de imagem de som e, influenciada pelo processo de modernização do país, Cataguases se abre às mudanças industriais, artísticas e culturais. Anos mais tarde, já no Rio de Janeiro, Mauro realizou mais de 300 produções, principalmente documentários.

“Humberto Mauro era a pessoa que mais entendia de cinema no Brasil”
Ronaldo Werneck, escritor

Humberto Mauro

Os bastidores do cinema
Após o período de Humberto Mauro, a produção cinematográfica em Cataguases ficou adormecida por décadas, até que, no anos 2000, um novo ciclo teve início na cidade, com festivais de cinema e a criação do Polo Audiovisual. Nesta reportagem, os bastidores movimentados da produção filmística mostra como a mão de obra é diversificada e o mercado de trabalho audiovisual é cheio de oportunidades.

“Você vem (para Cataguases) com a certeza de que faz um filme belíssimo e que estão todos prontos para te atender.”
Clarissa Ramalho, diretora

Humberto Mauro

O cinema e a economia

A indústria criativa do cinema, puxada pelo Polo Audiovisual da Zona da Mata, movimenta e economia de Cataguases desde a sua criação. A cidade se tornou fonte de mão de obra especializada além de oferecer serviços que atendem aos profissionais que lá vão trabalhar. Ao todo, em uma década, o polo audiovisual trouxe mais de R$ 60 milhões para a região e com geração de mais de 1500 empregos.

“Não tem cidade no interior do Brasil que tenha essa trajetória e essa performance de produção”
César Piva , coordenador do Polo Audiovisual.

A previsão é de que nos próximos dois anos a cidade seja palco da produção de 17 novos filmes. Tal número corresponde ao que foi produzido na cidade em um período de oito anos, ou seja, produzir em dois anos que foi realizado em oito. Para executar esse planejamento será necessário formar e atrair novos profissionais da área audiovisual.

Gente de cinema

Desde o início dos anos 2000, com o novo ciclo da produção de cinema em Cataguases, o envolvimento da população da cidade com a arte é cada vez maior. Pessoas de todos as faixas etárias e funções se envolvem e contribuem com as gravações, além de, em alguns casos, viram atores e atrizes da obra. A rotina da cidade é marcada pela presença das equipes, sempre em busca de cenários e locações.

“Acredito que Cataguases, apesar de ser uma cidade pequena, tem respondido a esse movimento. Ela está adaptada à essa função.”
Cacá Viana, produtora.

Humberto Mauro

Cinema como futuro dos jovens

O desenvolvimento do polo audiovisual em Cataguases oferece aos jovens da cidade um futuro na produção cinematográfica. Nesta reportagem, conheça algumas das histórias de jovens que tiveram as suas vidas mudadas pela sétima arte e pela oportunidade de mostrar o seu talento.

“Quando eu era muito nova, plantaram a semente do audiovisual no meu coração e isso mudou a minha vida. Fico orgulhosa em saber que estou fazendo pelos outros o que fizeram por mim.”
Renatta Barbosa, professora de artes e empreendedorismo.

Humberto Mauro

       

Deixe um comentário